Desceste a Rua

Desceste a rua

Eu cá vi-te a passar

Será coisa tua

Esse teu andar

Vi-te a descer

E sem o fazer

Tu lá bem passaste

E me lá bem me ignoraste

Via-te nas revistas

Via-te nos jornais

Via-te em todo o lado

E tu sem me dares sinais

Subi a rua

Crua e dura de subir

Vi-te a passar

E limitei-me a sorrir

Tu lá passaste empinada

Eu lá subi já cansada

Fui buscar um copo de vinho

Só meio copo sozinho

Sentei-me no fado

De braço cansado

De tanto escrever

Mas se sou poetisa

Entao ficas presa na cantiga

Que só o fado há de saber