Vinho do Porto

 

Uma noite repleta de poesia

Com um copo de porto na mão

Ciúme morto dum belo coração

Um cigarro aceso

Uma mesa em descanso

Um piano

Um solo

Um pirilampo

Diz me então se não

Sei andar enquanto me matas

Se sei morrer

Enquanto me agarras

Com um copo de porto na mão

Um só copo

Um só coração

Diz me se o vinho revela segredos

Se levanta caixões dos enterros

Se traz sermões e dessasosegos

De obcessões desarmardas

De fogos de luzes apagadas

Enquanto me seduzes em linhas apaixonadas

Com um copo de porto na mão

Dois copos

Um coração